“Efeito Fukushima” persiste uma década após contaminação

Por Samira Scoton e Diego L. S. Navia |

Dez anos se passaram desde o terremoto ocorrido em Fukushima e a emergência da contaminação continua viva. Em circunstâncias relacionadas ao tsunami e à catástrofe nuclear da usina, 3700 pessoas morreram, incluindo 240 que cometeram suicídio. Segundo a Faculdade Médica de Fukushima, que examinou menores de 19 anos durante os 5 anos seguintes, foram identificados 187 casos de câncer de tireoide que estão associados a radiação vazada. Pesquisadores da Universidade de Chukyo afirmam que rumores sobre radiação são ainda piores do que a própria radiação, afetando severamente a saúde mental. As autoridades japonesas conseguiram mitigar maiores consequências, devido ao monitoramento de alimentos contaminados por Iodo radioativo-131 gerado pelo vazamento.  

Impactos em segurança e defesa: Reatores próximos a populações e cadeias produtivas, principalmente alimentares, geram impactos negativos a longo prazo. A indústria pesqueira de Fukushima ainda não se recuperou e a região ficará marcada pelo estigma do vazamento nuclear durante as próximas décadas. Como resultado, perdas financeiras bilionárias, associadas a reflexos na segurança alimentar e à presença de agentes contaminantes, geram instabilidades nacional e internacional.

Fonte: MCCURRY, J. The 2011 Tōhoku disaster: 10 years on. The Lancet.  06 mar 2021. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(21)00560-2/fulltext

Google News


Assine nossa Newsletter


Receba mensalmente o Informativo RADAR em seu e-mail

Últimos Artigos

Confira o cronograma completo do evento

Confira aqui os participantes, horários e grupos de debates do evento, que acontecerá online nos dias 13 e 14 de maio de 2021. Horário Dia 13/05 Dia...

Exército dos EUA aprova planos para uma camada espacial tática

Por Rafael Esteves e Caroline Colbert | No dia 19 de abril de 2021, o exército dos Estados Unidos aprovou o desenvolvimento de um protótipo...

Estudo aponta dependência global da biodiversidade dos países em desenvolvimento

Por Alice Castelani and Daniel Vidal Pérez | Um estudo publicado por pesquisadores brasileiros na revista Science Advances apontou que os países com maior grau de desenvolvimento...

Primeiro satélite paraguaio monitora o desenvolvimento da doença de Chagas

Por Agatha Tomassoni Santos e Caroline Colbert | O primeiro satélite do Paraguai, chamado de Guaranisat-1, foi lançado a partir da Estação Espacial Internacional e...

Artigos relacionados

Deixe aqui o seu comentário

Favor informar seu comentário
Favor informar seu nome